quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Antes de mais nada, tudo...




Hoje acordei meio literário, com uma estranha vontade de ser lido. Acordei meio Assis sem Machado, acordei uma Pessoa que não era Fernando, acordei cheio de porquês e reticências...
Primeiro parágrafo é aquela coisa meio "oi, meu nome é...", "moro em...", "tô aqui prá...". Deixo essa missão para as certidões, os documentos ou os sites de busca. Posso dizer que adoro as metáforas existencialistas do Raul, do tipo: "eu sou a luz das estrelas, eu sou a cor do luar..." e isso faz com que eu esteja sempre me perguntando: "quem és tu?"
Preciso muito de ler, meus olhos são sedentos, há sempre um novo questionamento e estou sempre à caça das respostas, ainda que por vezes não as encontre nem nos livros. Sartre dizia que a dúvida é o preço da pureza, então, atrevo-me a dizer que a alegria é uma grande aliada da alienação: Olhe as crianças ao seu redor como riem. Olha a moça vadia, o menino arredio que a mãe vive dizendo: "se ajeita"... Olha a festa, o batuque, os sorrisos inocentes dos muitos que pouco ou nada sabem. Não considere isso ainda como uma crítica. Acalme-se. Respire....
Aos 8 eu queria ser gari, aos 10 motorista de ônibus, aos 16 jornalista e aos 18 Rock-star. Dez anos fazem com que a gente deixe de querer limpar os caminhos e queira que os outros limpem os nossos. Curioso... Aos 21 eu já queria apenas ser feliz, incondicionalmente. De um tempo pra cá eu quero amar. Quero que o amor mova todas as minhas ações. Reverencio o poeta que canta o amor como sendo a única revolução verdadeira. Precisamos sim da razão, mas desconfie que para cada decisão racional há uma questão emocional envolvida. Pergunte-se. Pergunto-me.
A minha segurança é sempre volátil, sou subjetivo e sei de toda doçura e amargor de assim ser.
Queria ter opinião para tudo: desde unha encravada até aplicação de ações na Bolsa. Em contrapartida, acho que um "não sei", de tão humanista, pode ser genial.
A gestação de um blog traz momentos de indagação: Pra quê? Por quê? A quem? Notou que há sempre mais perguntas? Responder nem sempre é satisfatório... Viva a pulga atrás da orelha da experimentação. Eu só tenho suspeitas, e dicas: minhas histórias do tipo "uma vez eu..." ou "eu já..." nunca empolgaram muita gente. Porém, eu preciso salvar o mundo! Não com teletransporte, capa e super poderes, mas sim com palavras, reflexão e sem a intenção de lança-los aos quatro ventos, mas no mínimo ás quatro esquinas, ao quarteirão. Na tentativa de revolucionar o metro quadrado seguinte. As grandes revoluções começam dentro de nossas mentes, de nossos quartos, de nossos bairros... Preciso acreditar na comunicação.
A escrita tem seu quê de clássico. A escrita nasce da frustração e do desejo, em simultaneidade: ela está entre o que não se fala e o que não se cala. Ter um blog é ao mesmo tempo inserir diversos ingredientes: a popularidade de um "Era uma vez", a inocência de um "Meu querido diário", o alarde de um "Preste Atenção" e a intelectualidade de um "Eis-me aqui". Eu sou música que contesta, sou uma banda sem contexto, sou o próprio texto, sou um livro-teste com um marcador no meio de suas páginas: talvez por nunca terminar, talvez por ter sempre muito a dizer, consciente também que posso ser deixado de lado num canto empoeirado ou ressoando num canto sonoro. A decisão é sua, leitor!
A quem necessita de respostas breves: Sou um compêndio lírico de escárnio e dor... Que tal?
Já diria Tom Zé "tô te explicando pra te confundir, tô te confundindo pra te esclarecer". Meus rascunhos são sempre escritos com letra feia, necessito sempre reler a mim mesmo. Talvez eu não me entenda, imagine você...

12 comentários:

Helderius Julius Caesar disse...

Infle seus pulmões...

fabi_lee_turunen disse...

Meninoo q coisa linda vc escreveu! Como sempre, espero o melhor de vc e vc cada vez me surpreende mais ^^ Q dom vc tem ^^ Use-o sempre da melhor forma! Bjoooo

Yasmim disse...

meu amorzinhuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu
:)) brigada pela participação no meu aki rs
mó louco essa mudança da meg né cara? kkk eu ainda estou degustando rs mas confesso que gosto de vê-la cantando mpb tb. embora prefira o visual loucão que ela tinha antes ;P hauahuahuahua

grande beijo meu querido! ADORO VC e apareço por aí proximo ano! tá com a porra naum kkkkkkkk :D ;****** LINDDOOOOOOO UM CHEIROOO fica com Deus!!!!

Mel Alcantara disse...

Cara! Sem palavras... Seu texto eh maravilhoso. Com certeza já está nos meus favoritos.
Estarei sempre aqui.
B-juX

Márjorye Fernandez disse...

Caracaa, seu post está incrível e me fez pensar nas perguntas da vida tbm... fim de ano sabe como é neah... sempre uma reflexão a fazer, tudo o que se conquistou e se quer conquistar no próximo ano... estarei sempre por aqui... bjos Maju

nine disse...

tu tratas as palavras com o carinho e suavidade que elas merecem.
Perfeito como sempre.

Parabéns.
Te adoro muito tá.

beijos
(soninho)

Renatta Fassarela disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ana carolina disse...

>>> "Sartre dizia que a dúvida é o preço da pureza, então, atrevo-me a dizer que a alegria é uma grande aliada da alienação: Olhe as crianças ao seu redor como riem. Olha a moça vadia, o menino arredio que a mãe vive dizendo: "se ajeita"... Olha a festa, o batuque, os sorrisos inocentes dos muitos que pouco ou nada sabem". <<<

Isso me fez lembrar uma conversa que eu tive com uma amiga, eu dizia:
"Agora entendo bem o significado da frase: santa ignorância!!!"

Cadu disse...

Primo, que orgulho!
Hoje é que eu entrei no seu blog pra ver o que vc havia escrito. E como sempre, cada vez mais surpreendente e inusitado. Aliás, diferente de quase tudo o que a gente lê por aí, né?
Brilhante e fascinante!
*Fascinante porque a narração nos remete a um mundo real, transporta-nos para o imaginário. Isso nos dá coragem de perceber melhor as coisas sem querer tapar os olhos.
*Brilhante porque incorpora a realidade de forma clara e objetiva...que sutileza na forma de escrever, cara! Muito bom mesmo!Abraço enorme e fique com Deus, meu primo-amigo! Ass: Cadu Salgueiro.

Cadu disse...

Perfeito pensamento: "Meus rascunhos são sempre escritos com letra feia, necessito sempre reler a mim mesmo. Talvez eu não me entenda, imagine você..."

Fabi disse...

Q lindoooo! Me empresta um pokinho esse seu dom?? hauaa aii esse seu último texto ta perfeito demais ^^ Vc é incrível! Sem palavras nino!

Isabel disse...

Olá adorei passar por aqui viu
Um otimo domingão pra vc !