domingo, 27 de setembro de 2009

Sou só som...


Uma relação que se sagra fiel: uma só sogra, uma só nora e uma sonora veia musical. Palavras densas dançam, faz-se samba das sombras, mambo das mangas, tango das tangas e todo barulho se embaralha.
Dos sons dos passos do percurso fez-se a percussão, seu eco, a repercussão, de quando foram dados descalços, superando todos os percalços até que se pusessem os calçados, pra dali o sapateado, e ademais os penteados da música pra fazer a cabeça.
Uma lâmina ilumina os pelos quando por ela friccionados, como cordas, emitindo notas como um violino. Dedos tocam e teclam músculos das costas como um piano, ombros vibram graves, libertos da dor aguda num solo-massagem. Ar faz de sax e tórax um só orgão...

Música-alimento, que já vem pronta pra pôr no prato, classificada na prateleira, para o meu pranto, para o meu lamento... Música de franja e de fama, de franquias de francos atiradores, da sílfide que fede, de quem confunde cifra e cifrão.

Hoje ainda música a remo, que 'navegabytes' pelas ondas ao rumo da conexão. Afinal, quem vai 'ceder' DVD vedado, 'cassete'! A Medida Provisória Nº3 (MP3) deixa-te livre pra ouvir as arpas nos Arcos da Lapa ou nas vitrolas do LP... Vem o fone para o fonema como a cena para o cinema e a música pra tocar na rádio e no tecido 'celular'...



Eu quero música pra ingerir, para que a próxima geração possa digerir e até mesmo sugerir uma nova versão, ou mesmo ter aversão ou virar do avesso, quero mesmo é que fiquem tocados, que saiam de suas tocas!
Minha música é de musa, é de massa, é de classe e sem gleba, que tudo engloba. É de ousadia pra violar o violão... Não há dó a rimar se não sei se faz sol lá, se não sei se vou solar sem a luz de uma tintura, sem a partitura da batuta do maestro, para que se aprenda mais uma escala na escola, para que se escute a cútis do trecho tatuado, o timbre dos tímpanos... Para que eu possa fazer uma sonata com uma só nota depois ler nas orelhas do Aurélio: ouvido ou vida...

28 comentários:

Y a s h a disse...

Adorei, Alan!
Eu também sou um tanto (bem grande) de som, da 'música rara, em liquidação', dos fones nos ouvidos e disco na vitrola. É a música que me acalma e é ela também quem me agita, quem me deixa feliz e triste por outra vezes, quem me faz ansiosa e quem me traz lembranças.

Metade letra, metade melodia... As duas podem muito bem serem lindamente belas sozinhas, mas elas se complementam, tornam-se plural. E juntas, não são excessos, mas intensas. Na medida certa.

beijo :*

Kelly Christi disse...

A musica e suas faces, sentidos, como podemos percebê-la e criar nela um mundo próprio, belo jogo de palavras, como sempre.

bjitos.

Isadora. disse...

sensacional sempre .

Ana Marques disse...

Alan,

Vc sempre me surpreende.
A forma como vc rima, brinca, desconstrói e reorganiza as palavras.

Sempre.
Como sempre.
Veemente.
Resolvida.
Tua música
e poesia
são vida.

Adorei.
beijocas.

Lívia Lunardi disse...

Como sempre... amei!
teu talento é incrível!

mais uma vez o jogo de palavras é encantador e nos prende até o último parágrafo.
Forma imagens na nossa mente, e nos faz pensar.

Dessa vez sobre música, uma das nuances emocionais mais belas expremidas pelo homem, arte artística.

parabéns alan!
continue sempre!
beijooss querido! ;)

.Fran. disse...

Como sempre o jogo de palavras é fascinante. E tratar de música... tornou uma delícia... essa busca pela música que ecoa na alma...
bjus!
inté!

Marcelo Augusto Cetreus disse...

Eu não conseguir entender o seu poema, acho que é porque ele tem tendencias surrealistas ( ? )

Abraços!

Cau Pitz disse...

Nuuus muito bom esse texto MESMO!
musica é tudo na nossa vida ne

;*

Glen Pace disse...

Cara adorei teu texto (:
me pareceu tão suave na leitura, mesmo com os jogos de palavras que voce usou.
Parabéns, ótimo blog!

lopes disse...

"(...)ter averssão, (...)fiquem tocados, (...)saiam das suas tocas"

Adorei o modo como vc brinca com os fonemas para contruir o seu texto, que é extremamente critíco e reflexivo.

Mas o que me desperta atenção é o carater da mensagem: Original, e livre!

Parabéns!

Sorte no Blog!

http://identidade-cultural.blogspot.com

Avassaladoras Rio disse...

Querido amigo avassalador...A musica para mim por estranho que pareça me ajuda a manter a concentração quando estudo... escrevo ou outra tarefa que precise de raciocinio... musica para mim é uma ancora com a realidade...

Analu disse...

Nossa, adorei! Essa poesia, em especial, porque música e poesia são duas das coisas que mais gosto na vida. Nela você coloca a música como uma verdadeira extensão do indivíduo: “Ar faz de sax e tórax um só orgão”... muito bom!!!
E essa forma de escrever, particularmente me encanta, porque eu definitivamente não sou adepta das poesias modernosas que não exploram os vários sentidos e sons que as palavras têm, combinando-os, experimentando e brincando com eles. Afinal, a língua portuguesa é rica demais para que se criem poesias que são mera disposição de frases e que, muitas vezes, só fazem sentido para o autor. Pra mim, poesia é o meio termo entre a prosa e a música, mas não é nem uma coisa nem a outra. A “estética” da poesia é tão importante quanto a mensagem, e você explora as duas coisas muito bem. Ai, pq eu sempre acho que escrevi demais??? Rs

Tereza disse...

ADOREI O BLOG ALANZINHO, VOU TE ACOMPANHAR !
NÃO CONHECIA O SEU DOM DE COMPOR, RS

BJS

1 Lênin 1 Blog! disse...

muito legal,
esse trecho "uma só sogra, uma só nora e uma sonora veia musical. "
disse tudo x)
abraço

Caio Malingre disse...

voce usa curiosos jogos de palavras e constroi um texto legal, mas as vezes fica um pouco confuso...
continue trabalhando nesses textos pq tah bem legal =D

se der p comentar lah eu agradeço...
http://www.futeminhavida.blogspot.com
vlw aee

Versos Controversos - Alan Salgueiro disse...

Valeu, Caio... Às vezes a confusão é proposital, afinal se não fosse assim os versos não seriam controversos.

chrisdark disse...

uau muito lindo!
a musica sempre me encantou e sempre me encantara, creio que uma vida sem musica não é uma vida completa.

Marcus disse...

muito bom!
A musica faz agente relachar, viajar e muitas outras coisas que só a musica consegue fazer!

Janaina Moraes disse...

Adorei ler seu texto. Ele canta por si só.
Tem uma musicalidade imposta em cada uma das palavras que vc escolheu para compor o texto.
Não sou uma pessoa muito musical, mas tenho sim, comigo, as músicas que me tocam, as que representam muito, as que representam pouco, as que me lembram pessoas amadas, pessoas que amei, pessoas que já não me amam mais.

Músicas...

http://aindamaisestorias.blogspot.com

http://estoriasmediocres1.blogspot.com

Marcelo Leite disse...

No desenrolar do post, notei que você se expressa unicamente! Muito bom mesmo!
Abraços

Natália Coelho disse...

Belo jogo com as palavras. De uma criatividade enorme, e o tema então; uma das coisas mais essenciais que há: a música.
Creio não podermos viver sem. É preciso barulho, é preciso cantar,enfim.

Abraços

AnDeЯsOn G. disse...

Duca esse texto. Demais os trocadilhos! Ele ficaria muito bacana declamado...

Alan Salgueiro disse...

Então, Anderson, matou a charada! Esse e boa parte dos textos desse blog são feitos já pensando nessa possibilidade de ter não só olhares, mas também ouvidos atentos.

Anônimo disse...

Perfeito.Música é uma linguagem universal ,todo mundo entende.

Glen Pace disse...

Dediquei um selo ao teu blog (:

http://cartasmortasdeglenpace.blogspot.com/2009/10/carta-selada.html

Lívia Lunardi disse...

Olááá! =)

Não sei se vc gosta ou não...
Mas tem selinho no meu blog pra vc tá?? Passa lá pra pegar se quiser!!

=)

beijooosss beijooosss
http://www.caminhandoentrepanos.blogspot.com/

FabioZen disse...

Cheguei até aqui pelo blog da Kelly,Pequenos Deleites.Que grata surpresa Alan,ando garimpando no universo da blogosfera essência/alma e teu blog é mais um dos poucos que encontro isso.Esse teu ultimo post,que legal,conseguiste criar um poema altamente sonoro,quase unificando letra-som.Parabens e dá uma espiada lá no meu http://oficinamissoes.blogspot.com/
Abrç!

Millena Blogueira disse...

Perfeito post!A música, sua essência e efeitos!