domingo, 7 de novembro de 2010

Desembucha



Desembucha contrasta com cala a boca. Solta o verbo, papo reto, dá com a língua nos dentes, quase que pedantes, mesmo que pendentes a banguela fala. Balbucia, resmunga, toda planta já foi muda, meio gugu-dadá. As primeiras palavras do bebê a se moldar no bê-a-bá. Alfa-batizado com sopa de letrinha, a cerimônia é uma sabatina: Homem alto de batina com discurso retumbante. Concluí que o padre era um autofalante.
Voando o tempo passa e vem a pomba-gíria: Fala aí! Fala tu! Fala Sério! Fala com a minha mão! Falou e disse! Fala, Garoto! Fala que eu te escuto. Xaveca, desenrola, alcooliza, mas aviso: não há gole antártico que lhe dê um ar Buárquico. Calo na voz deixa a fala tímida. Calar a voz seca, a mente cálida.
Que venha o palavrão como vírgula, mas não essa topada onde a sílaba solapa. Fingir o soluço não é solução, não tosse diante da taça. Trova, fica toda prosa, deixa que no céu da boca a língua trava. Beijo de 'tongue' ditando o ditongo, pedindo um hiato. Não é teatro mas é mais um ato: o beijo fala!



Nunca há o desdizer, pois não há como editar. Tudo tá dito ou contradito seja mal ou bendito. A falácia, falcatrua, força de um objeto fálico. O escândalo, o preferir proferir a renúncia. A pronúncia de uma dívida. Caem os candelabros, mas mantêm-se os santos, as dúvidas, mandatos. 
E aquela forma peculiar de falar, fácil de emitir, boa de imitar. Nenhum dialeto é obsoleto! - A Dilma não é um idioma, mas Dilma não é uma idiota! E as tantas outras formas, essa voz unânime inanimada, esse uníssono que dá sono, o coro burro que leva esporro, que leva no couro.
E quando a fala é um silêncio sem documento: Acorda gente, o berro é gratuito! Ainda que a voz seja pouca, ainda que a voz seja rouca, ainda que só haja ecos de cacarecos em pigarros. Não se entregue ao mormaço, não a queime em cigarros, não a deixe à mordaça. 

 
Mas também não deixe esse disse-me-disse se disseminar. Habla o blá-blá-blá, parla, burla, quebra a restrição! Se estapeia com a onomatopeia. Leva surra do sussurro. Solta os perdigotos da saliva-larva. Papo de boteco!
Pode ser como quiser: leis de fanhos, leis de gagas, afônicas ou supersônicas. Bebe a Torre de Babel! Conversa boa é com com verso, conversa boa é com prosa, pomposa, que emenda música! Boca e cabeça. Cuspe e caspa. Fala!

para ler ouvindo: "FALA" da banda "SECOS E MOLHADOS" de 1973. 

"DESEMBUCHA" é a terceira parte da trilogia da palavra. [DEDOS/CARTA/FALA]

Texto apresentado na Sessão "Intervenções Poéticas" no Cineclube Buraco do Getúlio - Especial "A Palavra". Espaço Cultural Sylvio Monteiro, 02 de Outubro de 2010, Nova Iguaçu-RJ.

38 comentários:

Tamára Roots disse...

A poesia em prosa me toca bem mais do que aquela bem organizada em versos. Me puxa, me prende, só consigo soltar quando chego no final e não foi diferente com o teu texto.
Parabéns.
A fala-muda de todos os dias me atormenta,"gostei de ver" tuas palavras.
paz e luz.
http://tamararoots.blogspot.com/

Marcela disse...

Chegaremos ao ponto da lapidação reflexiva, onde o carinho cuidadoso se faz presente em cada linha laçada noutra. Isso é poesia, vejo que ela prevalece e inquieta, não apenas numa demanda determinante da populacional, mas quem está possibilitado de querer receber e vice - versa essa condição.

http://memoriaspsicodelicas.blogspot.com

ARAÚJO disse...

Gente, que poema inusitado. Cheio de poesia, metáfora, imagem e prosa. Mostrou seu talento e originalidade nessa minha primeira (de agora em diante muitas) visitinha por aqui

www.teoria-do-playmobil.blogspot.com

Kell Alves disse...

A ordem é falar mas diante de tanto talento achei por bem ocupar-me do silêncio. Talvez minhas palavras não estejam à altura das tuas...

Verdelone disse...

Meu deus...
Cara ...você é um gênio...
Fantástico isso....
Fiquei de queixo caído...
Abraços
Verdelone
CIA DOS BOTECOS - www.ciadosbotecos.blogspot.com

Losterh disse...

Eu sei falar cargas de coisas por falar. E mesmo assim eu escuto. Talvez um pouco menos.
Moldar-se não traz riqueza. E do teu cérebro não tem conhecimento. Se não faz ao menos em palavras o espontâneo, jamais saberá quem é.

Maria Chuteira disse...

falar é comigo mesmo..rsrs adorei o post e a figura das mãos...afff me deu uma "agonia", diferente, gstei.

parabéns, Bjs

Celamar Maione disse...

Olá !

Gostei do vídeo. O mundo é feito de palavras. A comunicação é fundamental....

Eu vi o filme e gostei muito. Obrigada pela dica.

Beijos

Descomplicadas -ou não- disse...

Posso dizer o que ?
Espetacular.

Vanessa Lee disse...

A comunicação verbal é o veículo mais turbinado do conhecimento, li algo desse tipo em algum livro de Pedagogia.
Por isso eu falo demais!

Carol disse...

Falo! e quando calo, escrevo... bjk

Luiza Jardim disse...

"Conversa boa é com versos."

Parabéns!

Rart og Grotesk disse...

caracas que poema massa!!
tbm gostei muito dessa foto da mão que tem um cara gritando!!
se quiser, acesse meus blogs http://artegrotesca.blogspot.com e http://denisirenia.blogspot.com

Kiko Lemos disse...

altamente criativo, parabéns de verdade!

Karla Hack disse...

Adorei o: "Acorda gente, o berro é gratuito!"
Bela e criativa forma de expressar-se!!


;D

icedmurk disse...

é, ja pensou em escrever um livro?
vc tem uma visão genial, parabens de vrdade

pisovelho.com.br disse...

Genial... hoje o que se aproxima muito com as bandas antigas brasileiras é o teatro mágico na questão das letras...

Érico disse...

Como estudante de jormalismo devo dizer q achei muito interessante a forma q o texto foi lido e escrito. É o tipo de arte q só se pode fazer com a lingua portuguesa :)

William disse...

A criatividade é fundamental para essas postagens. E ligar à música Fala do Secos & Molhados, foi uma sacada muito boa.
Sucesso

Claudia Halley disse...

Gostei do estilo do seu blog.

JaCoNa disse...

Nossa.... Gostei bastante do teu tetxo. Coloco ele na categoria de prosa poética e digo-lhe: muito bem escrita.
Parabéns....
Pouca gente consegue enxergar poesia nas gírias, no coloquialismo, nas coisas corriqueiras... vc fez isso bem! ;)

O mundo de cada um disse...

Bem criativo, usou bem as palavras, as vezes não se precisa dizer muitas coisas.

Mônica Costa disse...

Adorei seu blog, desde a primeira imagem e título até cabeçalho.
Poucos são os blogs que possuem bons conteudos e o seu é um destes...
Boa colocação da canção, ela prende e chama muito atenção juntamente com as imagens!

Até mais!

http://sobreumascores.blogspot.com

Sandro Batista disse...

Meu Deus, que texto maravilhoso é esse? Você literalmente botou a mão e a boca no trombone e deu uma aula de como expressar-se. Sensacional isso!

Bravíssimo!

http://estacaoprimeiradosamba.blogspot.com/

Laranja Jack disse...

"...ouvir lendo suas palavras da boca feitas com a caneta na mão é entusiásmatico, digo, entusiástico,só fica difícil para o asmático ler sem parar, mas eu que sou um tanto estrambótico leio sem pensar,mas acabo pensando e concluo: Que insano valor poético tem esse seu be-a-ba."

Wilderson Evangelista disse...

muito boa suas conotações amigo
estou com meu blog no início
com algumas dicas de webdesign para blogueiros, em breve coisas novas iram ser postada no meu blog, adorei o seu

abraços e sucesso

passa lá no meu:
http://webdigitaw.blogspot.com/

Wellington disse...

Que legal essa postagem sobre a fala. Li algo parecido sobre os dedos. Gostei desta postagem pois ela brinca com a sonoridade das palavras, usa o totidiano e ideias conhecidas das pessoas para fazer comparações. Ficou muito legal de se ler! ^^ Parabéns!

Abraços!

http://neowellblog.wordpress.com/

Andre Mansim disse...

Muito bom seu texto! Parabens! Vc deve ser faladeirão, mas escreve muito bem!

Pedro disse...

Maravilhoso, espetacular.
Não vou ficar tentando explicar o que eu entendi, porque o que você fez ficou ótimo. Se eu tentar explicar, vou acabar com tudo. Não é fácil encontrar pessoas que fazem algo tão bem como você faz!


Parabéns, parabéns mesmo!



:)

Vanessa disse...

Simplesmente adorei,e achei muito lindo seu blog..

Parabéns pelo blog,sucesso...

Bjus,e se puder visite o meu

http://blogcaixadesurpresas.blogspot.com/

Andre Mansim disse...

Obrigado pelo comentario tão gentil lá no meu blog.
Valeu!

medicine.practises disse...

Incrível! passei a te seguir !
è ótimo começar o dia assim , com um maravilhoso texto

http://medicinepractises.blogspot.com/

Katrine disse...

Muito bom o texto. Fui ler algumas partes mais rápido e acabei me enrolando. rsrs

Obrigada pela sua visita ao meu blog.
É sempre bem vindo por lá.

Ah, estou te seguindo. ^^

Abraços e boa semana.

Hugo disse...

Assaz os testos brother
Curti!
Abraço

Gabriel Pozzi disse...

Olá Alan!
É um prazer tê-lo no meu blog novamente, tal como ler um novo texto seu!
Começo a perceber um padrão no seu texto, é como se você escrevesse na ordem que seus pensamentos chegam, e o conjunto soa como poesia enquanto você está trabalhando um tema único, nesse caso, o desabafo, o "desembucha".
Aliás, me veio na cabeça a palavra "catarse", se eu não me engano é um conceito de escrever na ordem de seus pensamentos. E por acaso esse conceito tem TUDO A VER com seu texto. A catarse é o verdadeiro desembucho. Mas ao invés do FALA, aparece o ESCREVA.
Não é atoa que o título do seu texto seja "Alan Salgueiro Desembucha".



cara, desculpe por não criar ainda a blogroll, estou coletando todos os blogs parceiros que quero colocar nela, mas ainda falta criar. -.-
assim que eu colocar a mão na massa eu te aviso :)
abs

http://songsweetsong.blogspot.com/

Kelly Christi disse...

vc fez um texto cheio de alomorfias

eu já disse pra vc. o quanto respeito e gosto do seu estilo, talvez, vc. pense que meus comentários são técnicos demais, mas eu vejo o quanto vc. curte o seu blog, e comentarios iguais dizendo que acham vc. perfeito ou sua poesia linda, ha aos montes, não que vc. não mereça, mas acredito que quem escreve sempre quer ouvir vozes do outro, o olhar que ele tem sobre o mundo, sobre o que vc. escreve... par[abéns, seu texto foi uma bela alomorfia.

e muito obrigada pelos comentários críticos e elogios

beijo,

kelly christi.

//dreamsgreen disse...

Estava precisando de um texto como esse hoje , para eu ler.Gpstei muito, se expressou divinamente.
Queria agradecer pelos elogios ^^ me senti mais empolgada para escrever.
Saudações!

Alan Salgueiro disse...

É magnífico perceber as diferentes percepções que são geradas, cada um com uma forma peculiar de sentir e avaliar. Obrigado pelo prestígio e a entrega de todos os que comentam e fazem parte dessa boa troca de ideias!