domingo, 27 de março de 2011

Surto Reflexivo Autofelicitativo


Existem as redes sociais pra lembrar que você existe pelo menos dentro das redes sociais. Num ano desses troquei as datas, larguei de Peixes, virei Leão. Não faltaram as mesmas repetidas mensagens e toda aquela congratulação. 
Vou ali versar, cortar embróglios em fatias. Dessa vez a tia meu deu bolo, não fez o bolo porque trabalha à beça. Eu só queria abraços, menos abalos... Mas vieram à distância, a distância ao superlativo, como um completo supletivo por correspondência, conveniência. Como as lojas de posto, rapidinho, aposto!
Em vez do primeiro pedaço, celebrei o primeiro petardo, torpedo. Escute as palavras faladas-lidas, falidas, pouco válidas. Lida com as exclamações em negrito, tá tudo lá escrito, escrachado, como um mecânico recall, em forma de recado. Fez-se um mural pra dar moral, pra se curtir, pra se encurtar a relação testimonial.  
Eu refuto, reluto e relato a inércia, o silêncio, o estranhamento, o estrangeirismo, uma ilha e eu e a inquietação, inadaptação. Quanto mais sufixo, mais sufoco a ação. Sem festas ou manifestações, alardes e alaridos, preciso e preso apenas pela presença dos meus amigos. Aqueles de mais afeto e menos cliques, que não se carece dar nome, subir o tom... Eles sabem e são alguns poucos e bons. Quero opiniões, bifurcações e não o trivial. Quero sinônimos e os binômios do Melamed, o 'não se mede' universal.

Desejar o desejo: sopra a vela só pra vê-la. Faça um PERDIDO!  Cante para bens ou para maus. Pressinta o presente: a caixa dentro da caixa dentro da caixa e dentro dela, no fundo dela algum teor do fundo do coração do amor. Pragmatismo e mistério!
Seja leve e sexy! Olhar-avassalar o vosso lar. Invasão sem despir e dispor o disparar. O mirar fulmina. Full! Tudo! Mina! Boom! Feliz doçura e força! Meu docinho de coco tá me deixando forte! Sugar, oh heavy heavy!  Maria-Mole dura!
Agradecimentos! Não há grades nem cimento, mas castelos, ratinbuns de fantasia. Binômios, triênios: dois a mais pra cabeça, dois a menos pro corpo, contra a maré, feito a carpa. "Todo mundo quer cafuné, todo mundo quer querer, todo mundo tudo! Bom humor e inteligência pra você!"

Pra ler ouvindo: "El Desdichado II" de Lobão, do álbum Acústico MTV.


26 comentários:

aninhagr disse...

Adorei teu texto - inteligentíssimo e alanríssimo ops, redundância! Querido, admiro demais teu potencial. Parabéns à você!O tempo passando e mostrando que tu estás cada vez melhor.
"Cante para bens ou para maus. Pressinta o presente: a caixa dentro da caixa dentro da caixa e dentro dela, no fundo dela algum teor do fundo do coração do amor. Pragmatismo e mistério."DIVINO! Beijo, sucesso!

Nem o chapolin disse...

amei o texto,viajei lendo-o,muito bom mesmo.

VIVIANE SOUZA disse...

Alan adorei este texto-poema (não consegui classificá-lo, mas para quê?!). Na minha interpretação se trata da vida. Confusa e simples; alegre e triste; sonhos e desilusões; solidão e sentir-se amado; etc. Muito tocante! Abç

Samir . disse...

Texto bem redigio! Bom humor e inteligência para você também. Abraço.

Wellington disse...

Muitas ideias em um único post. Tem-se que ler bem devagar! XD Muito bom!

Parabéns pelos posts!

Abraços!

http://neowellblog.wordpress.com/

Kelly Christi disse...

Ahhhh alanzito, querido eu ja disse pra ti o que achei do seu texto, maravilhoso... gostei muito do tanto de coisas que colocou nele, critica a rede social, ao ser sexy ou nao, desejos, estranhamentos, por ques de certas coisas da vida... sinceramente, foi um dos textos que mais gostei aqui no verso, parabéns, grande bj.

enricows disse...

Muito confuso porém muito belo! É a confusão toda que dá um tom belo para seu texto! Eu interpretei você comentando coisas do cotidiano!
Parabéns pelo blog! Abraço!

Comente no meu blog também:
http://enricows.blogspot.com/

M!sunderstood disse...

Muito bom o texto, muito bom seu blog também.

Estou seguindo aqui, se puder dá uma passadinha lá no meu blog depois...

Bjs.


Misunderstood

Sandro Mangueirense disse...

Um texto que ao mesmo tempo que faz uma auto-crítica, traz implícito um apelo, um pedido, um pequeno sussurro de socorro.
Sim, o mundo virou um deserto, e agora, só nos resta caminhar em meio a essa tempestade de areia, que sempre nos prepara uma surpresa porque sequer sabemos em que direção estamos seguindo, chamada rede social.

Olhe pelo lado bom! Não fosse a internet, estaríamos todos trancados dentro de nossas ocas, sem saber nem o nome do índio ao lado. ALiás, sem talvez sequer conhecer sua face. Ou seu face?? Ah, tanto faz...

http://estacaoprimeiradosamba.blogspot.com/

PCN disse...

Que texto diferente! Parabéns cara, curti demais!
Me soou como um murro no estômago, inteligente e inesperado (pelo menos pra mim que não conhecia o blog). Me faltam até palavras.

http://papeisriscados.blogspot.com/
o/

Paula disse...

Adorei o texto.. em especial este trecho "...preciso e preso apenas pela presença dos meus amigos" acho fundamental a presença dos meus amigos.


http://dedindiproza.wordpress.com

Jaque disse...

Parabéns pelo texto, gostei do jeito que vc brinca com as palavas.

Beijoos
http://agarotaquetemquasetudo.blogspot.com/

Mayra Ribeiro disse...

Ótimas palavras. Tais que nos fazem pensar na proximidade das pessoas; Nas que realmente valem a pena.

Aline Diedrich disse...

Genial o seu texto! Soube brincar com as palavras e ainda trazer uma mensagem interessante!

Vitoria Viana disse...

Adorei seu blog! muito bom o texto! vc escreve super bem adorei mesmo!

Karla Hack dos Santos disse...

Adorei o ritmo de seu texto.. brincando com as palavras para causar sensações... Muito bom!
Os trechos finais de seu texto fecharam tanto com meu momento atual... Adorei!

;D

Habib Sarquis disse...

Simplesmente genial.

Tati disse...

A vida da gente é um amontoado daquilo que a gente é de fato e daquilo que a gente quer ser. O resto é como as pessoas enxergam: para os tolos, qualquer meia dúzia de palavras difíceis são sufientes para o ego que sofre de solidão. Para os não-tolos, apela-se para um carinho, o tal do afago... No fundo, tudo fica numa [des]ordem suficiente para confundir mural com a moral que carrega em alguns caracteres. Os tolos acham bonito, e até admiram. Os não-tolos se identificam...

[lerei outros posts, quem sabe encontros boas e más surpresas travestidas de vitrine!]

Preguiça alheia disse...

pura verdade.. eu gosto da INTERNET.. mas gosto de estar na compania dos meus amigos!!

KGeo disse...

um otima frase final

Paulo Cheng disse...

Um excelente texto, muito legal e bem escrito. Gostei bastante do teu blog, parabéns e abração pra ti.

Victor Von Serran disse...

cara eu tinha esqecido de como era bom passar por aqui...pode deixar que agora não esqueço mais !

abraço, te vejo lé no Cronicas !

Geici disse...

Oiie, te indiquei para pegar o selo la no meu blog ^^

http://geiciblog.blogspot.com/2011/04/selo-de-qualidade.html

Beijo :*

Bianca Lobianco disse...

E de repente o mundo ficou tão gelado, com ações comedidas, com meia porção de qualquer coisa que fica difícil fugir da tal "globalização". Mas esta não seria pra aproximar? Por que está tudo separado? Nos tornamos vítimas da tal modernidade que tanto era almejada... No mundo do " politicamente correto" até os sentimentos tem que ser repensados,artificiais... Armadilhas da própria comunicação... Ainda estou no lado oposto.

yasmin disse...

... Perfect...

yasmin disse...

adorei...