terça-feira, 27 de janeiro de 2009

O dia em que te elegerem um herói



Dia desses estava numa festa infantil, no lugar preferido daqueles que já não desfrutam de tanta energia costumam instalar-se: sentado à mesa. De lá, reparava nas camisetas dos guris, estampadas com as imagens dos heróis atuais. Invejei os enfantes, pois lembrei-me que quando era um deles não havia assim tanta variedade de camisetas, mofadores, armaduras e afins. Pelo menos não que eu me lembre... Findo aqui o primeiro parágrafo antes de soltar um pomposo "na minha época", para que o leitor não vá lá imaginar que este que vos escreve já está gagá.
É curioso notar que a carência da nossa sociedade e a ânsia por soluções mágicas viabilizam a proliferação desses intrépidos seres. A sede é vasta, faz com que de tempos em tempos algumas promessas sejam transformadas em ídolos instantâneos: o novo Pelé, os novos Beatles! Quantos jogadores e bandas já não tiveram essa responsabilidade pra carregar consigo em pleno começo de carreira.
Se você tem mais de 30 anos de idade vai recordar de Sassá Mutema, o Salvador da Pátria do fim dos anos 80. Se já tem mais de pelo menos 10, deve ter ouvido falar do destemido Capitão Nascimento, o anti-herói mais idolatrado da década, até o surgimento, a candidatura e a confirmação da eleição de Barack Obama para a presidência dos Estados Unidos e seu desafio de não apenas salvar a pátria, mas o mundo.
Pensei em padrões, imaginei algo como uma receita pra se fazer um herói, instantâneo, em 10 lições. "Receita pra se fazer um herói" então, soa tão bem que poderia ser até vendido como livro, o manual prático do herói. Algo como fez o Mestre Myiagi com Daniel Sam em Karatê Kid, quando o aprendiz tornou-se um campeão do esporte a partir de lições como: - Pinte a cerca! - Encere os carros! Lixe os assoalhos! Daí a angústia, a indignação e zás! Está diplomado mais um todo poderoso ao acaso, sem manual de instruções.



A angústia do carateca muitas vezes avizinha-se na minha mente. Sartre dizia que a angústia nasce das possibilidades, e eu, que na infância era daqueles que depois de assistir aos episódios, auto declarava-me o próprio herói e proferia o nome de cada golpe em um grito libertário, anos depois via-me diante dessa angústia. Sentia-me parte da narrativa de "Marvin", canção dos Titãs, quando se lia: "E então um dia uma forte chuva veio e acabou com o trabalho de um ano inteiro. E aos 13 anos de idade eu sentia todo o peso do mundo em minhas costas..."
Aí você se acostuma a ler bons livros, tirar boas notas, falar em público, passar em algumas provas e pronto: está eleito o novo mártir, a última bolacha do pacote, e aposta-se todas as fichas que você, sem capa ou cueca sobre as calças, salve a humanidade num raio mínimo de 10 metros de seus olhos.
E se na infância o Homem Gato, que testava suas vidas correndo diante dos carros correndo, era meu eu escondido, hoje, contra todos, contra o tempo, preciso salvar o mundo mesmo que não saiba ainda salvar a si próprio. O desafio é ainda mais instigante... Pouco faço pose, pouco faço tipo, assumo minhas fragilidades. Não confundir fragilidade com fraqueza: fragilidade é o quão rápido se chega ao âmago e nem sempre a fraqueza que sente quer dizer que a gente não seja forte.
Daí sou um pouco Chapolin Colorado, exponho à frente logo o que há de mais precioso: fica o coração estampado, armo-me desarmado, não tenho poder algum e tenho todos os poderes do mundo. Minha astúcia não se conta, tudo que é subjetivo é força, é o que faz a diferença, é um soco de sabedoria, é um tapa com peso de pena que não faz splish splash, mas te inebria como se a pena fosse esfregada diante de seu nariz.




Homem Primata, Homem Aranha, Homem Morcego, Homem Invisível, Homem de Aço, Homem do Saco, Homem Gol, Homem de Deus, Homem Biônico, Homem do Tempo, O Homem da Mala Preta, O Homem do Sapato Branco, O Homem da Máscara de Ferro, O Homem do Ano, Super Homem, O Homem Bicentenário, O Homem sem Sombra, O Homem de 6 Milhões de Dólares, O Homem que Copiava, O Homem que Calculava, O Homem que Desafiou o Diabo, Sujeito Homem, O Melhor Amigo do Homem, O Homem da sua Vida, O Homem que Sabia Javanês, O Homem que queria ser rei, O Homem que matou Getúlio Vargas, você é um homem ou um rato? Homens de honra ou de preto. Onze e um segredo.
E se os heróis e protagonistas são fincados nessa imagem do forte e invencível, vem as mulheres pra dizer: "Sou mais macho que muito homem" e o anônimo grita sua dor do Exército de Um Homem Só. Da pé também a estória do "Homem que acorda ás 4h da madrugada" ou "A Mulher que venceu um câncer" ou ainda "O Homem que vive com um salário mínimo". Todos nós somos ou conhecemos um herói menos famoso e temos um pouco de super-ultra-mega também.


Quanto a mim, daqui, sem muito poder, sei que ainda posso. Sei que há um poço e sei que há uma fonte. Sei que há uma ponte entre um lado e outro. Sei que a minha posse vem daquela fonte de onde me inspiro e vem como um espirro de tão natural, e daí minha força, pois não há muito a se esperar dos meus braços tão finos, só o que o divino pode possibilitar. Corre sangue nas veias saltadas. Verás que a força bruta nunca mesmo vencerá a inteligência. Tenho o beijo da mocinha no final. Fortifico-me. E sigam-me os bons.

4 comentários:

Marcela Leitche disse...

Nossa, gostei muito desse texto, essas analises me atraem muito!bjobjobjooo

Aline disse...

ADOREI!!! primeiro pq tudo que me remeta a minha querida infância me traz lembranças boas, o que me deixa muito feliz! Obrigada por ter me feito lembrar dos meus desenhos favoritos, as figuras que vc associou ficarm ótimas, principalmente a dos heróis velhinhos.. Muito bom! Foi uma ótima leitura!

Borboleta em protesto disse...

é amigo pq tantos herois???
temos um mundo tão confuso e tão cheio de atritos que só chamando um santo heroi para distrair o sofrimento e "adormecer" a desigualdade. Pois quando a gente vibra vendo o Homem aranha que é o meu favorito, todos somos iguais tentamos ter super poderes queremos ser um deles mais as vezes me confude pois eles sempre nascem de dentro de nós....Somos os super herois que tanto amamos!!!
Bjs

Bruna disse...

sempre quis participar da liga da justiça
huahsuahsuhas
amei isssoo..
deu vontade de voltar a ser criança
;~~~
amei isso